As várias facetas dos pronomes indefinidos

Machado

“Estas palavras de Madalena não valiam coisa alguma, nem mesmo como desculpa, porque a desculpa é fraquíssima.  Estevão compreendeu logo que havia algum motivo oculto. Seria o amor?” Machado de Assis – A mulher de preto (Contos Fluminenses).

Pronomes indefinidos relacionam-se à terceira pessoa gramatical de forma vaga e imprecisa. Quando vêm  ligados a substantivos, classificam-se como pronomes indefinidos adjetivos. Veja:

Alguns textos serão lidos depois.
Nenhuma mulher merece isso.
Estevão compreendeu logo que havia algum motivo.

Atenção: Os pronomes indefinidos ocorrem também como locução pronominal indefinida (locução é quando temos mais de uma palavra com um único sentido):
Cada um faz o que lhe dá na cabeça.
Cada qual ensina conforme aprendeu.
Quem quer que venha, não me vencerá
Seja quem for, será bem-vindo.
Seja qual for a nota, não me importarei.

O pronome indefinido algum, depois do substantivo, adquire sentido negativo, como podemos ler no texto de Machado de Assis. Mas se o colocarmos antes, passa a ter significado positivo. Confira:

…valiam coisa alguma (negativo)
valiam alguma coisa (positivo)

Após os substantivos, os indefinidos nenhum/nenhuma, algum/alguma não admitem plural. É errado, então, dizer “Mulheres nenhumas merecem isso” ou “Disputas algumas me interessam”.

Mas, se vierem antes, admitem! Nenhumas mulheres e Algumas disputas (corretíssimo).

Também não é correto usar cada (sozinho) no lugar de cada um.
Então o certo é dizermos “Comeram três barras de chocolate cada um” e não “Comeram três barras de chocolate cada”.

Antes do substantivo, certo é pronome indefinido; depois, adjetivo:

Certo rapaz me abordou de maneira desrespeitosa (pronome indefinido adjetivo).
Contrataram o rapaz certo para o cargo (adjetivo).

O pronome indefinido vários, geralmente usado no plural,  é correto também no singular: Vária espécie animal necessita de proteção.

Agora, abaixo, exemplos de pronomes indefinidos substantivos:

Algo aborreceu você, não?
Tudo o deixa irritado.
Quem sabe a matéria, não erra nunca.

Como costumo ensinar, percebemos que os pronomes indefinidos algo, tudo e quem (gramática) estão funcionando na oração como sujeito (sintaxe). Não estão ligados a substantivo algum. Não é à toa, então, serem carinhosamente apelidados de pronomes indefinidos substantivos. Beleza?

Qualquer informação a mais que precise, faça contato pelo valeriavianna@amigadaletra.com ou pelo facebook

Beleza?
Beijo e boa sorte. 🙂

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s