Nunca mais confunda adjunto e complemento

Armando Sendin (detalhe)

menino e o cão foto para blog 2

“Nenhum ser humano me deu jamais a sensação de ser tão totalmente amada
como fui amada sem restrições por esse cão.”
                                                             Clarice LispectorA descoberta do mundo

Adjunto e complemento nominal: esses amigos leais

Uma das coisas de que lamento na vida é de não ter tido um cachorro na infância. Fui criança medrosa (até formiga eu temia). A experiência, no entanto, não me foi negada: hoje, adulta, tenho o meu Ulisses. Tive Pingo e ainda tenho um gato: Guepardo.

Quem tem bicho sabe o quanto eles são amigos e colados na gente o tempo todo. Um convívio bem bacana. Bem como o adjunto adnominal e o complemento, sempre leais amigos dos nomes que escolheram para dono. Mas, do mesmo jeito que Pingo e Ulisses eram diferentes em sua maneira de ser, apesar de iguais na amizade canina, o adjunto e o complemento têm diferenças também.

 

E como sabemos? Você pergunta.
Através das palavras, respondo. É uma boa maneira de saber.

As que funcionam como adjunto são as seguintes: artigos, adjetivos, numerais, locuções adjetivas e os pronomes adjetivos. Também é importante saber que o adjunto adnominal só se liga a substantivos (concretos e abstratos) com ou sem preposição. Veja:

A menina sapeca/aprontou/três estranhas peraltices/num dia de chuva/das suas férias

A – artigo definido singular como adjunto do substantivo menina
sapeca – adjetivo como adjunto do substantivo menina

três – numeral como adjunto do substantivo peraltices
estranhas – adjetivo como adjunto do substantivo peraltices

um (de num: preposição em + artigo indefinido um) – adjunto do substantivo dia
de chuvalocução adjetiva como adjunto do substantivo dia

as (de das: preposição de + artigo definido plural as) – adjunto do substantivo férias
suas – pronome adjetivo do substantivo férias.

Note! Menina é um substantivo concreto e peraltices, dia e férias são abstratos. Mas todos são substantivos. 😉 Entendido?

 

Já o complemento…

Nunca se liga a substantivos concretos. Mas está sempre ligado com preposição a palavras de sentido abstrato. São elas:

  • substantivo abstrato
  • adjetivo
  • ou advérbio

Exemplo:

Tenho medo de abismo 
(complemento nominal pedido pelo substantivo abstrato medo)
Estou certa da vitória 
(complemento nominal pedido pelo adjetivo certa)
O professor respondeu apressadamente ao aluno
(complemento nominal pedido pelo advérbio apressadamente)

Lembrando que adjetivo e advérbio são sempre palavras abstratas. O que não ocorre com o substantivo, que tanto pode ser concreto quanto abstrato, como vimos acima.

 

Mas… e quando coincide? Como assim?

Ora, se a construção textual vir com substantivo abstrato e preposição. Como sabermos, então, se é adjunto ou complemento, já que pode acontecer nos dois casos? Simples! 🙂 Acompanhe abaixo:

adjunto e complemento

Outro exemplo:

  • A réplica do promotor/foi pertinente

réplica – substantivo abstrato
do promotor – adjunto adnominal com preposição

  • A réplica ao promotor/foi pertinente

réplica – substantivo abstrato
ao promotor – complemento nominal com preposição

Sabemos que a primeira construção é adjunto porque a réplica é do promotor (indica posse, a réplica é dele!). Além disso, ele é o agente da réplica (ele dá a réplica!). Já na segunda,  ao promotor é o alvo da réplica e aí deixa de ser agente da ação para ser paciente. Perceba que, na frase com o complemento, podemos dizer que o promotor foi replicado, ele sofreu a réplica. O que não acontece com o adjunto na primeira frase.

Mais uns exemplos
Agora, com substantivos abstratos diferentes, partindo da premissa agente/paciente para entendermos melhor.

  • propaganda de TV (a propaganda é da TV/ela é o agente da propaganda)
    adjunto
  • anunciante de carros (carros são anunciados/paciente da ação)
    complemento
  • divulgação do site (o site é divulgado/paciente da ação)
    complemento
  • abertura do processo (o processo é aberto/paciente da ação)
    complemento
  • qualidade do produto (a qualidade é do produto/ele é o agente da qualidade)
    adjunto

Nem a TV nem o produto são alvos ou sofrem ação da propaganda ou da qualidade. Por isso, são adjuntos e não complementos. E não há como transformá-los para a voz passiva como em carros são anunciados, site é divulgado e processo é aberto.

Beleza?
Beijo e boa sorte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um comentário sobre “Nunca mais confunda adjunto e complemento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s